Idoso reage a assalto e é morto; outro homem também morreu no confronto em Guarapuava

Outras duas pessoas foram atingidas por disparos

17/09/2021 08H48

Um idoso de 78 anos reagiu a um assalto e acabou morrendo na troca de tiros com o marginal em Guarapuava. Outro homem, de 31 anos, também morreu. Outras duas pessoas foram atingidas por disparos de arma de fogo.

A ocorrência foi registrada pela Polícia Militar às 22h, no Residencial 2000. Vizinhos acionaram a polícia após ouvirem disparos de arma de fogo.

No local, os PMs encontraram grande aglomeração de familiares em dois pontos, tanto dentro da residência quanto na parte de trás. Dentro da casa havia um homem, de 78 anos, dentro do quarto, já sem sinais vitais. Ele estava de posse de um revólver. Familiares estavam ajudando uma mulher de 65 anos, que foi alvejada nos braços.

Nos fundos da residência foi encontrado um homem de 31 anos atingido por disparos de arma de fogo na região próxima ao pescoço, sem sinais vitais.

O local foi isolado, mas com grande dificuldade tendo em vista o grande número de familiares no local.

Segundo a versão da mulher atingida nos braços, ela e seu marido estavam dentro da residência sendo que dois indivíduos entraram pela porta de trás já disparando, foi então que seu marido reagiu com um revólver que tinha, alvejando um dos autores. Já a versão dos familiares do homem de 31 anos, é de que ele escutou o casal de idosos pedindo socorro e ao ir até a porta dos fundos da residência, foi alvejado.

Após a equipe realizar diligencias no local constatou que a possível motivação do ocorrido foi a busca dos dois indivíduos pelo dinheiro do senhor de 78 anos, que vendeu uma propriedade recentemente.

A ambulância do Samu chegou ao local e foi constatando o óbito dos dois homens e encaminhou a mulher para a UPA Trianon.

Quando a viatura do Samu saiu do local a equipe recebeu informações de que outra mulher foi alvejada na região do abdomen e na nádega, sendo encaminhada por populares para atendimento médico.

Os corpos foram recolhidos ao Instituto Médico Legal (IML).

O caso está sendo investigado.

Deixe seu comentário: